A nova geração européia de satélites geoestacionários da EUMETSAT, Meteosat Second Generation (MSG), consiste em uma série de quatro satélites que estarão em operação até 2018 provendo à comunidade de usuários não só com a continuidade dos serviços do sistema atual Metesoat, mas também com a expansão significativa de suas capacidades. O MSG irá fornecer observações sob um quarto do planeta em 12 bandas espectrais (3 para o Meteosat) com uma resolução temporal sem precedentes de 15 min (30 min para o Meteosat) resultando em 20 vezes mais informações que seu precursor e abrindo novas perspectivas de pesquisa e aplicação dos dados em diferentes áreas como meteorologia, oceanografia, agricultura, clima e hidrologia. O sistema de disseminação de dados do MSG, antes limitado à Europa, estará disponível para a recepção em países do continente americano trazendo benefícios em especial para o Brasil.
    Além do MSG, o sistema Eumetcast irá disseminar diversas informações meteorológicas e ambientais para os usuários em geral. Hoje o CPTEC já dissemina alguns produtos por meio desse sistema. Esse fluxo de produtos irá aumentar gradativamente, nos próximos anos com a ajuda do Projeto DevoCoCast que irá disseminar cartas de vegetação do SPOT, produtos oceanográficos e meteorológicos provenientes de diversos outros satélites.
    Neste contexto, a Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais (DSA) do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE) em conjunto com a European Organisation for the Exploitation of Meteorological Satellites (EUMETSAT) elaborou o curso “Sistema de recepção e processamento de Imagens via EUMETCast para América do Sul” que objetiva capacitar o aluno na instalação e operação da estação, no processamento, visualização, arquivamento e geração de produtos meteorológicos.
    Vale lembrar que um curso de aplicações para meteorologistas está sendo elaborado pela DSA e ocorrerá num futuro próximo.